Fuja do IR de 25% sobre remessas ao exterior

 

 

É, não teve jeito e o Ministério do Turismo levou uma rasteira do próprio Governo Federal. Como falado nas ultimas semanas, a isenção sobre o IRRF sobre operações de remessa de dinheiro ao exterior que acabou no dia 31/12/2015 estava em negociação para redução da alíquota dos absurdos 25% para 6%, mais próximo do atual IOF cobrado em algumas operações no exterior, como o IOF, por exemplo. Porém, o Governo Federal anunciou ontem, 26/01, que a alíquota permanecerá em 25% e efetiva imediatamente.

Então conforme já postamos aqui existe uma forma bem simples para Fugir desse imposto ! Eu sugiro para viajante frequente abrir uma conta nos USA , super simples e para as remessas do Brasil para Usa só paga o iof de 0,38% . Confira aqui como abrir e fugir do Iof.

O que isso significa ?

Teoricamente, apenas com pagamento de serviços em dinheiro vivo e ou abrindo uma conta no exterior , você pode fugir do mesmo. O problema é que a maioria dos serviços que você pode fazer no exterior dependem de cartão de crédito internacional (onde incide o IOF de 6,38%) ou de operadoras brasileiras pagando para operadores internacional (onde incidirá o novo imposto de 25%). Ou seja, se você reservar um hotel por um site na internet, você pode pagar no Brasil onde o site terá que pagar os 25%, ou pagar com cartão de crédito internacional com taxa extra de 6,38% do IOF. Na prática, vai ser difícil correr do imposto para as operações mais comuns como aéreo, hotel, aluguel de carro, ingressos e transporte.

A decisão do Governo Federal pode mudar ?

Em reunião com representantes do setor produtivo, o ministro Henrique Eduardo Alves reafirmou que o governo está empenhado em encontrar uma saída de consenso para o imposto que vai incidir sobre pagamentos para fornecedores fora do Brasil. Após encontro com representantes da área econômica do governo, o ministro do Turismo destacou que o acordo firmado em dezembro de fixar a alíquota em 6% para a remessa de dinheiro ao exterior está mantido. A equipe econômica está trabalhando para encontrar o caminho técnico correto.

O que você acha das novas taxas? Comente abaixo!